quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

CHACRINHA O VELHO GUERREIRO

Abelardo Barbosa nasceu no interior de Pernambuco, na cidade de Surubim em 1917. Menino gordinho e um tanto desajeitado, já na infância mostrou talento para a animação. Bom aluno, chegou até o segundo ano do curso de medicina, mas as dificuldades financeiras da família o obrigaram a ser camelô, ocasião em que descobriu seu poder de comunicação. Migrando para o Rio de Janeiro, aceitou comandar um programa de fim de noite na Rádio Tamoio, cujo endereço era numa pequena chácara em Niterói. Daí a origem do nome Chacrinha. Não era um bom locutor, mas tinha grande personalidade e movimentava o programa com tiradas divertidas, transformando o programa num grande sucesso.   

Inicialmente foi duramente criticado pelos intelectuais que o acusavam de explorar o mundocanismo em seus programas. Mais tarde foi considerado um gênio da comunicação e considerado por Caetano Veloso como o precursor do tropicalismo. Sua temporada e maior sucesso na televisão foi na TV Globo, sendo um dos responsáveis pelo período de ascensão da emissora. Mais tarde, Boni, o poderoso diretor geral da Globo, o demitiu, assim como a Dercy Gonçalves,  sob a argumentação de que seus programas não atendiam ao “padrão globo de qualidade”. Esse revés deixou profunda mágoa no Velho Guerreiro. Nada, no entanto o tirou de seu propósito, partindo para contratos com outras emissoras e apresentando seu programa por todo  o Brasil. Anos depois ele retornou á emissora apresentando o programa Cassino do Chacrinha, que era um misto do Buzina e do Discoteca.

Na vida pessoal, mostrava-se um homem fragilizado e inseguro. Do seu casamento com Dona Florinda, nasceram 3 filhos homens. Num trágico acidente, um deles (José Renato) ficou paraplégico, resultando mais uma dura prova emocional para o incansável Chacrinha.
Para um grande número de artistas, Chacrinha foi um verdadeiro pai, lançando carreiras e promovendo suas músicas. Mas também cobrava fidelidade e magoava-se com muitas injustiças daqueles que após alcançarem o sucesso lhe viravam as costas e se recusando a cantar em seus programas.

Além das sensuais e lendárias chacretes, são célebres suas frases  como “na televisão nada se cria, tudo se copia”, “Quem não se comunica se trumbica”, “alô, alô Terezinha é um barato a discoteca do Chacrinha”, “Roda, roda e avisa, um minuto de comercial”, “vocês querem bacalhau?” , “Eu vim pra confundir, não para explicar!”, “você vai cantar o quê, meu filho?” , “vai para o trono ou não vai?”, “palmas pra ele que ele merece!” , “E agora vamos receber a internacional... “ , “cheguei, baixei, saravei”, “Como vai meu bem, veio a pé ou veio de trem?”, “Terezinha...” e uma infinidade de outras tantas.

No seu programa “Buzinha do Chacrinha”, reunia um time quase bizarro de jurados que incluía tipos exóticos como Elke Maravilha, Pedro de Lara e Aracy de Almeida, a quem ele se referia como “a Dama da Central”, devido à preferência da velha cantora pelas viagens de trem para as gravações do programa em São Paulo.


O velho Guerreiro morreu em  Junho de 1988, aos 70 anos, menos de um mês após apresentar seu último programa. Fumante inveterado, teve câncer no pulmão e insuficiência respiratória. Na memória de quem conheceu seu trabalho e seus anárquicos programas, que incluía troféu abacaxi, concurso de pulgas e outras maluquices,  continua mais vivo que nunca. Uma lenda!

Chacrinha
Chacrinha

Chacrinha
Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha
Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha
Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha
Chacrinha e Dona Florinda
Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha & Cláudia Barroso

Chacrinha

Chacrinha homenageando Tarcísio e Glória com o Troféu Velho Guerreiro

Chacrinha com Wanderléia e seu filho Nanato

Chacrinha

Chacrinha e Glória Menezes

Chacrinha


Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha e Rosemary
Chacrinha

Chacrinha e sua mulher Dona Florinda

Chacrinha com Glória Pires e Fábio Jr.


Chacrinha 

Chacrinha 
 
Chacrinha 

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha e Wanderléia

Chacrinha e Elke Maravilha

Chacrinha e Caetano Veloso

Chacrinha e Clara Nunes

Chacrinha e Vando

Chacrinha e Ronnie Von

Chacrinha homenageando Sérgio Cardoso
Chacrinha com Paulo Sérgio 

Chacrinha com Tarcísio Meira e Glória Menezes

Chacrinha e Ronnie Von

Chacrinha e Marília Pêra

Chacrinha e Cláudia Barroso

Chacrinha e Roberto Carlos

Chacrinha com Caetano Veloso e Gilberto Gil

Chacrinha e Paulo Sérgio

Chacrinha e Tim Maia

Chacrinha e Beth Carvalho

Chacrinha e Sidney Magal

Chacrinha e Peninha

Chacrinha e a jornalista Marisa Raja Gabaglia

Chacrinha com Nelson Ned e a chacrete Índia Potira

Chacrinha e Wanderléia

Chacrinha e Cláudia Barroso

Chacrinha e Clara Nunes

Chacrinha com Cauby Peixoto e Ângela Maria

Chacrinha e Nélson Ned

Chacrinha com Cláudia Raia e Elke Maravilha

Chacrinha os comediantes da TV Tupi

Chacrinha e Jerry Adriani

Chacrinha e Jerry Adriani

Chacrinha e Walter Clark 

Chacrinha e Roberto Carlos

Chacrinha e Roberto Carlos

Chacrinha e Gretchen

Chacrinha e Chacretes

Chacrinha e Luiz Airão
Chacrinha e Alcione

Chacrinha e Ivon Cury

Chacrinha e Silvana

Chacrinha e Elis Regina

Chacrinha e Caetano Veloso

Chacrinha e Elke Maravilha

Chacrinha com José Fernandes e Cláudia Barroso

Chacrinha e Cláudia Barroso

Chacrinha e Elis Regina 

Chacrinha e Elke Maravilha

Chacrinha com Silvio Santos e atores da TV Globo na mensagem de Fim de ano da emissora em 1972

Chacrinha com Sérgio Cardoso, Cinira Arruda, Regina Duarte e Cláudio Marzo

Chacrinha com o jornalista Moysés Weltman e Glória Menezes

Chacrinha e suas inesquecíveis chacretes.

Chacrinha com Linda batista e Emilinha Borba na Rádio 

Chacrinha 

Chacrinha 

Chacrinha 

Chacrinha 

Chacrinha 
Chacrinha 

Chacrinha 
Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

Chacrinha

 













Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo,  Blog TUDO ISSO É TV (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 

Nenhum comentário:

Postar um comentário