sábado, 23 de novembro de 2013

LÚCIA MELLO A IRRESISTÍVEL SOLTEIRONA

Lúcia Mello Kohler nasceu em 22 de Setembro de 1932. Atuou em cinema, televisão e teatro, além de publicidade. Foi uma atriz personalíssima, talhada para papéis de mulheres meio amalucadas, especialmente solteironas fofoqueiras e recalcadas. Destacou-se nas novelas Nino, o Italianinho e A Fábrica, ambas de Geraldo Vietri. Na TV Globo, teve um importante papel em Nina, interpretando a engraçada Dona Tetéia e na TV Bandeirantes destacou-se em Ninho da Serpente. Na TV Cultura atuou em diversos teleteatros e teve brilhante atuação em A Dama de Copas e o Rei de Cuba, ao lado de Consuelo Leandro, sob a direção de Silvio de Abreu. No cinema, atuou num dos papéis centrais do filme A Moreninha (1970) e em outra dezena de produções como Diabólicos Herdeiros (1971), Jogo da Vida e da Morte (1972),  Gente que Transa (1974) e O Sexualista (1975).  

Em 1986, após a novela Uma Esperança no Ar (SBT, 1985), Lúcia Mello  afastou-se da carreira artística. Segundo informação de um parente, Lúcia Mello morreu em 8 de Agosto de 2005, um mês antes de completar 73 anos de idade.

Lúcia Mello

Lúcia Mello

Lúcia Mello

Lúcia Mello

Lúcia Mello

Lúcia Mello com Geórgia Gomide na TV Tupi


Noemia Marcondes, Lúcia Mello, Ivone Hoffmamm, Elvira gentil e Ana Maria Neumann em 1967 no programa da peça Marat/Sade, de Peter Weiss, direção de Ademar Guerra
Noemi Gerbelli, Francarlos Reis, Jussara Freire, Marcos Caruso, Cleyde Yáconis, Antônio Petrin e Lúcia Mello na peça Amante S/A

Lúcia Mello com David Cardoso no filme A Moreninha (1970)

Lúcia Mello com Dirce Migliaccio em Nino, o Italianinho (TV Tupi, 1969), novela de Geraldo Vietri
Lúcia Mello em Nino, o Italianinho

Lúcia Mello com Dênis Carvalho em Nino, o Italianinho

Lúcia Mello com Marcos Plonka e Dirce Migliaccio em Nino, o Italianinho

Lúcia Mello com Marcos Plonka em Nino, o Italianinho

Lúcia Mello com Marcos Plonka e Dirce Migliaccio, dirigidos por Geraldo Vietri, em Nino, o Italianinho
Lúcia Mello com Marcos Plonka em Nino, o Italianinho

Lúcia Mello com Marcos Plonka em Nino, o Italianinho

Aracy Balabanian, Graça Mello, Ana Maria Dias, Lúcia Mello e Dirce Migliaccio em Nino, o Italianinho
Lúcia Mello com Lima Duarte em A Fábrica (TV Tupi, 1971), novela de Geraldo Vietri. Na reta final, a novela foi esticada em 40 capítulos e o casal passou de coadjuvante a protagonista, uma vez que a história do casal principal já tinha sido esgotada. Deram um show!

Lúcia Mello com Regina Duarte em Nina (TV Globo, 1977), novela de Walter George Durst 

Lúcia Mello com Regina Duarte em Nina 

Lúcia Mello com Juan Daniel em Pecado Rasgado (TV Globo, 1978/79), novela de Silvio de Abreu



Lúcia Mello com Juca de Oliveira em Pecado Rasgado
Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, site TV Globo, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto) 


terça-feira, 19 de novembro de 2013

IDA GOMES A VOZ DE BETTE DAVIS

Ida Gomes nasceu Ida Szafran, na Polônia (Kracenik), em 25 de setembro de 1923 e antes de vir para o Brasil morou na França até os 13 anos.
Começou sua carreira no rádio, passando depois para a televisão fazendo teleteatros e novelas, sendo o seu maior sucesso a  Dorotéia Cajazeiras, a mais velha das três inesquecíveis solteironas da novela O Bem Amado, de Dias Gomes, na Rede Globo. Era também uma prestigiada dubladora, especialmente dos filmes protagonizados por Bette Davis e Joan Crawford. 
Ida, que era irmã do também ator Felipe Wagner, participou, ao longo de sua carreira,  de mais de 30 novelas, todas na TV Globo, além de Casos Especiais, minisséries e o seriado O Bem Amado que ficou 4 anos no ar. Além do rádio, televisão e teatro, também marcou presença em uma dezena de filmes. Ida Gomes deixou, enfim, um extraordinário legado artístico. Morreu em 22 de fevereiro de 2009, aos 85 anos de idade, em decorrência de uma pneumonia. 

Ida Gomes  (* álbum Astros de Telenovelas -  revista Romântica)

Ida Gomes  (* álbum Galeria dos Personagens da TV - Rio Gráfica Editora)
Ida Gomes

Ida Gomes  (* foto Cedoc Funarte)

Ida Gomes  (* foto Cedoc Funarte)

Ida Gomes  (* foto Cedoc Funarte)


Ida Gomes  (* foto Cedoc Funarte)

Ida Gomes  (* foto Cedoc Funarte)

Ida Gomes na novela Fogo Sobre Terra  (* foto revista Amiga)
Ida Gomes  

Ida Gomes  (* foto revista Cartaz)

Ida Gomes  (* foto revista Amiga)

Ida Gomes na novela Selva de Pedra  (* foto revista Cartaz)

Ida Gomes na novela Dona Xepa  (* foto revista Romântica)

Ida Gomes na novela Dona Xepa  (* foto revista Romântica)

Ida Gomes na novela O Astro  (* foto Cedoc TV Globo) 

Ida Gomes na novela O Astro  (* foto Cedoc TV Globo) 

Ida Gomes na novela Selva de Pedra  (* foto Revista Amiga)

Ida Gomes na novela Selva de Pedra  (* foto Revista Amiga

Ida Gomes na novela O Astro  (* foto Cedoc TV Globo)

Ida Gomes na novela O Astro  (* foto Cedoc TV Globo)

Ida Gomes na novela O Homem Que Deve Morrer  (* foto Cedoc TV Globo)
Felipe Wagner (Paris, 15 de julho de 1930  — Rio de Janeiro, 1 de julho de 2013) era irmão de Ida Gomes e pai da atriz Débora Olivieri. Participou de dezenas e novelas e humorísticos da TV Globo. Por ocasião de sua morte, estava no elenco de Zorra Total, programa em que trabalhava desde 2000. Morreu vítima de um infarto fulminante, aos 82 anos de idade

Ida Gomes com Yoná Magalhães num teleteatro da TV Tupi do Rio  (* foto revista Cartaz)

Ida Gomes  (* foto Cedoc Funarte)

Ida Gomes com Nadia Maria e Hilton Franco  (* foto Cedoc Funarte)

Ida Gomes com o ator Avalon Filho em 1959  (* foto Cedoc Funarte)

Ida Gomes com Paulo Maurício no programa Atire a Primeira Pedra em 1959  (* foto Cedoc Funarte)

Ida Gomes recebendo o troféu Microfone de Ouro em 1958  (* foto Cedoc Funarte)

Ida Gomes recebendo o Troféu Microfone de Ouro em 1959  (* foto Cedoc Funarte)

Ida Gomes (centro) com Max Nunes, Lulli Abreu, Correa Araújo, Nadia Maria e Antonio Carlos  (* foto Cedoc Funarte)

Ida Gomes com Jece Valadão no filme Bonitinha, mas Ordinária
 
(* foto Banco de Acervo Cultural - BCC)

Ida Gomes com Fregolente no filme A Penúltima Donzela
 
(* foto Banco de Acervo Cultural - BCC)


Ida Gomes com Paulo Ramos, Marcelo Gianetto, Manfredo  Colassanti, Gilberto Martinho e Leila Cravo numa fotonovela da revista Sétimo Céu

Ida Gomes com João Carlos Barroso, Ney Latorraca (de Papai Noel), Tião D´Ávila, Sônia de Paula e Ricardo Blat, seus colegas em Estúpido Cupido (*foto da revista Sétimo Céu)

Ida Gomes com Tuca Andrada e Yoná Magalhães na peça Com Minha Mãe Estarei (O Milagre da Santa), de Vicente Pereira

Ida Gomes com Tuca Andrada e Yoná Magalhães na peça Com Minha Mãe Estarei (O Milagre da Santa)

Ida Gomes com Neuza Amaral, uma de suas melhores amigas
Ida Gomes e Zilka Salaberry eram grandes amigas

Ida Gomes com Mário Lago e Lélia Abramo

Ida Gomes com Sônia Braga no filme O Casal

Ida Gomes com Carlos Alberto na peça Bodas de Ouro, de Vicente Maiolino

Ida Gomes com Alessandra Maestrini na peça Sete, o Musical, de Charles Möeller e Cláudio Botelho (* foto de Leo Ladeira - Acervo Site Möeller & Botelho)

Apesar de ser judia, Ida Gomes interpretou diversas freiras em novelas. Uma delas foi a Madre Superiora da novela Estúpido Cupido, ao lado de Elizabeth Savalla e Suely Franco 
Ida Gomes

Ida Gomes

Ida Gomes

Ida Gomes