terça-feira, 20 de maio de 2014

YOLANDA CARDOSO TALENTO E EXUBERÂNCIA A SERVIÇO DO TEATRO

Yolanda Cardoso nasceu Yolanda Brunetti Cardoso, no Rio de Janeiro em  28 de setembro de 1928. Atriz de traços fortes, era talhada para papéis de mulheres exuberantes, a exemplo de sua antológica atuação na peça Alzira Power, de Antônio Bivar. Também foi muito elogiada por sua atuação na peça Caixa de Sombras, interpretando uma esposa angustiada  que se recusava a aceitar a morte eminente do marido.  Estreou profissionalmente em 1955, na peça Diálogo das Camelitas, tendo participado posteriormente em dezenas de espetáculos, entre eles O Cão Siamês (Antônio Bivar), Os Sete Gatinhos (Nelson Rodrigues), Vejo Um Vulto na Janela, me Acudam, Sou Donzela (Leilah Assumpção), A Falecida (Nelson Rodrigues), Pequenos Assassinatos (Jules Feiffer) e Filumena Marturano (Eduardo de Filippo).

No cinema, estreou em 1963 no filme Crime no Sacopã (dir. Roberto Pires). Ainda nos anos 1960 participou de Paraíba, Vida e Morte de um Bandido (dir. Victor Lima), Engraçadinha Depois dos 30 (dir. J.B. Tanko) e  Copacabana me Engana (dir. Antonio Carlos Fontoura). Nos anos 1970 participou de várias pornochanchadas, entre elas A Árvore dos Sexos (dir. Silvio de Abreu), Os Rapazes da Difícil Vida Fácil (dir. José Miziara) e Mulheres do Cais (dir. José Miziara).

Ao longo de 35 anos de carreira, além de participação em dezenas de espetáculos teatrais e  filmes, atuou em muitas telenovelas. Nos anos 1970 era presença cativa em novelas da TV Tupi e nos anos 1980 na TV Globo. Sua última participação de destaque foi na novela O Direito de Amar, em 1987. Depois disso, teve participações esporádicas em especiais, parando de atuar em televisão em 1998.


Em 2001, com sérios problemas de saúde, praticamente cega, Yolanda foi morar no Retiro dos Artistas, no Rio de Janeiro, cidade onde morreu em 10 de julho de 2007, em decorrência de uma pneumonia, aos 78 anos de idade.

Yolanda Cardoso


Yolanda Cardoso

Yolanda Cardoso

Yolanda Cardoso

Yolanda Cardoso

Yolanda Cardoso

Yolanda Cardoso

Yolanda Cardoso

Yolanda Cardoso com Agildo Ribeiro no filme Crime no Sacopã (1963, dir. Roberto Pires) 

Yolanda Cardoso com Jece Valadão no filme Paraíba, Vida e Morte de um Bandido (1966, dir. Victor Lima) 

Yolanda Cardoso  no filme A Árvore dos Sexos (1977, dir. Silvio de Abreu) 

Yolanda Cardoso  no filme A Árvore dos Sexos   

Yolanda Cardoso com Wanda Stefãnia e Esmeralda Barros no filme Mulheres do Cais (1979, dir. José Miziara) 

Yolanda Cardoso  com Nicete Bruno e Paulo Goulart na peça Inimigos Íntimos 

Yolanda Cardoso  com Cláudio Correa e Castro, Elias Gleizer e Tony Ramos na peça Pequenos Assassinatos

Yolanda Cardoso (em pé, à dir. ao lado de Francisco Cuoco) com Carminha Brandão, Italo Rossi, Fernanda Montenegro e Zilka Salaberry na peça O Mambembe
Yolanda Cardoso com Miriam Mehler na peça De Repente, No Último Verão

Yolanda Cardoso  com Tereza Sodré e Fernando Reski na peça Freud Explica... Explica? 

Yolanda Cardoso na peça O Cão Siamês 

Yolanda Cardoso na peça Alzira Power 

Yolanda Cardoso na peça Alzira Power

Yolanda Cardoso com o diretor Jorge Takla,  Sônia Samaia, Paulo Castelli e Walmor Chagas na peça Armadilha

Yolanda Cardoso com Fernando Torres e Fernanda Montenegro na peça Vida em Família

Yolanda Cardoso com Fernando Torres, Francisco Dantas e Fernanda Montenegro na peça Vida em Família

Yolanda Cardoso com Ângela Leal, Pepita Rodrigues e Carlos Eduardo Dolabella na peça Extremos

Yolanda Cardoso na peça A Falecida
Yolanda Cardosocom Antônio Petrin e Flávio Guarnieri na peça Caixa de Sombras

Yolanda Cardoso com Renato Borghi e Tereza Sodré em A Volta de Beto Rockfeller (TV Tupi, 1973), novela de Bráulio Pedroso

Yolanda Cardoso com Tereza Sodré em A Volta de Beto Rockfeller 
Yolanda Cardoso com Tereza Sodré em A Volta de Beto Rockfeller

Yolanda Cardoso com Oswaldo Loureiro, o diretor de A Volta de Beto Rockfeller 

Yolanda Cardoso com José Lewgoy em As Divinas... E Maravilhosas (TV Tupi, 1973), novela de Vicente Sesso

Yolanda Cardoso com Procópio Ferreira e Nathália Timberg em As Divinas... E Maravilhosas 

Yolanda Cardoso com Benedito Corsi e Bete Mendes em As Divinas... E Maravilhosas
Yolanda Cardoso com Wanda Stefânia, Yvan Mesquita e Haroldo Botta em A Barba Azul (TV Tupi, 1974), novela de Ivani Ribeiro

Yolanda Cardoso com Yvan Mesquita em A Barba Azul 

Yolanda Cardoso com Haroldo Botta em A Barba Azul 

Yolanda Cardoso com o elenco de O Sheik de Ipanema (TV Tupi, 1975), novela de Sérgio Jockymann
Yolanda Cardoso com Nadia Lippi em O Sheik de Ipanema

Yolanda Cardoso em A Viagem (TV Tupi, 1975), novela de Ivani Ribeiro
Yolanda Cardoso com Lílian Lemmertz em Tchan, a Grande Sacada (TV Tupi, 1976), novela de Marcos Rey
Yolanda Cardoso com Lílian Lemmertz em Tchan, a Grande Sacada 

Yolanda Cardoso em O Profeta (TV Tupi, 1977), novela de Ivani Ribeiro
 Yolanda Cardoso com Abrahão Farc em O Profeta 

Yolanda Cardoso com Ana Luisa Lancaster, Carlos Augusto Strazzer e Débora Duarte no lançamento de O Profeta

Yolanda Cardoso com Jardel Filho em Coração Alado (TV Globo, 1980/81), novela de Janete Clair


Yolanda Cardoso com Osmar Prado em O Amor é Nosso (TV Globo, 1981), novela de Wilson Aguiar Filho

Yolanda Cardoso com Marlene em O Amor é Nosso (TV Globo, 1981), novela de Wilson Aguiar Filho

Yolanda Cardoso com Lady Francisco e Bia Seidl em Louco Amor (TV Globo, 1983), novela de Gilberto Braga
Yolanda Cardoso com Lupe Gigliotti no programa humorístico Grupo Escolacho (TV Globo, 1988)

Yolanda Cardoso com Elias Gleizer em Direito de Amar (TV Globo, 1988), novela de Walter Negrão

Yolanda Cardoso com Léa Camargo e Sérgio Ropperto na TV Tupi

Yolanda Cardoso
Yolanda Cardoso

Yolanda Cardoso



Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, site TV Globo, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto),  site Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br) 

Um comentário:

  1. Uma atriz e tanto! Parece que se destacou no TEATRO...
    Além de ter atuado nos manjados filmes das décadas de 70/80 mostrados acima_o que deveria se salvar seria a atuação desta e de outros bons artistas.
    Ouvi falar que ela PODERIA TER SIDO UMA VÍTIMA DO NAUFRAGIO DO BATEAU MOUCHE, pois estava ido até tal e acabou chegando atrasada: há males que vem para o bem mesmo.
    E que seja lembrada por muito tempo ainda.

    ResponderExcluir