segunda-feira, 4 de novembro de 2019

DIONISIO AZEVEDO - A ODISSEIA DE UM PIONEIRO


Taufik Jacob, em artes Dionísio Azevedo, nasceu em Conceição da Aparecida (MG), no dia 4 de Abril de 1922. Começou sua carreira em 1941, na Rádio Record. A estréia no teatro foi em 1950. Seus maiores sucessos no palco foram as peças A Morte do Caixeiro Viajante (1962), Gata em Teto de Zinco Quente (1978); O Dia Em Que Raptaram o Papa (1981); Um Tiro no Coração (1984) e Direita Volver! (1985).

Na televisão, foi um dos pioneiros, dirigindo teleteatros para o programa TV de Vanguarda da TV Tupi e telenovelas. Nos anos 1960 dirigiu grandes sucessos da TV Excélsior, como A Moça Que Veio de Longe; Ambição; O Tempo e o Vento; A Outra Face de Anita A Pequena Órfã. Em 1969, com o fechamento da Excélsior, foi contratado pela TV Record de São Paulo, quando dirigiu As Pupilas do Senhor Reitor; Algemas de Ouro; o Príncipe e o Mendigo e Os Deuses Estão Mortos. Mas foi na TV Globo que teve seu nome associado a um dos maiores suspenses de todos os tempos, a pergunta “Quem matou Salomão Hayala?” na novela O Astro, de Janete Clair em 1977.

Não bastasse sua importância como grande ator e diretor de TV e teatro, Dionísio Azevedo tem seu nome associado a grandes momentos do cinema nacional. São memoráveis suas atuações em filmes como O Sobrado (1956), O Pagador de Promessas (1962);   Lampião, o Rei do Cangaço (1964); O Santo Milagroso (1966);  Corisco, o Diabo Loiro (1969) e A Pequena Órfã (1973), entre outros. Ao todo, esteve em mais de 30 produções do cinema.  Também marcou seu nome na direção, em filmes como Anjo Assassino (1967) e Chão Bruto (1958), entre outros.

Na vida pessoal, foi casado com a atriz Flora Geni, com quem teve dois filhos: Dionísio Jacob e Noel Jacob. Uma tragédia envolvendo o segundo filho, atropelado e morto aos 14 anos de idade, marcou profundamente a vida do casal Jacob. Enquanto Flora se afastou da vida artística, só voltando em trabalhos esporádicos, Dionísio, como chefe de família, mesmo com o coração dilacerado pela perda do filho querido, continuou na ativa, enriquecendo com seu talento, a cultura brasileira.


Dionísio Azevedo morreu no dia 11 de dezembro de 1994, aos 72 anos de idade, vítima de um câncer no cérebro, deixando para o Brasil um imenso legado artístico. Aqui, nesse registro, uma homenagem a esse gigante  pioneiro. 

Dionísio Azevedo

Dionísio Azevedo

Dionísio Azevedo

Dionísio Azevedo

Dionísio Azevedo

Dionísio Azevedo

Dionísio Azevedo

Dionísio Azevedo
Dionísio Azevedo

Dionísio Azevedo

Dionísio Azevedo

Dionísio Azevedo

Dionísio Azevedo

Dionísio Azevedo com o filho Noel Jacob

Dionísio Azevedo com a mulher Flora Geni e os filhos pequenos

Dionísio Azevedo com Flora Geni e o filho Dionísio Jacob

Dionísio Azevedo e Flora Geni na capa do livro Uma Vida na Arte, publicado pela Imprensa Oficial

Dionísio Azevedo com Lima Duarte no filme O Sobrado (1956), direção de Walter George Durst e Cassiano Gabus Mendes

Dionísio Azevedo com Fernando baleroni, José parisi e Lima Duarte no filme O Sobrado

Dionísio Azevedo no filme O Sobrado

Dionísio Azevedo com José Parisi, Bárbara Fázio e Fernando Baleroni  no filme O Sobrado

Dionísio Azevedo  no filme O Sobrado

Dionísio Azevedo no filme Cidade Ameaçada (1960), direção de Roberto Farias

Dionísio Azevedo no filme Cidade Ameaçada 

Dionísio Azevedo no filme O Pescador e Sua Alma (1961), direção de Charles Guggenheim

Dionísio Azevedo no filme A Primeira Missa (1960), direção de Lima Barreto

Dionísio Azevedo no filme A Primeira Missa 

Dionísio Azevedo no filme A Primeira Missa

Dionísio Azevedo com o critico francês George Sadoul no set de A Primeira Missa

Dionísio Azevedo no set do filme A Primeira Missa

Dionísio Azevedo com Leonardo Villar e Glória Menezes no filme O Pagador de Promessas (1962), direção de Anselmo Duarte

Dionísio Azevedo com Leonardo Villar no filme O Pagador de Promessas 

Dionísio Azevedo com Leonardo Villar e Glória Menezes no filme O Pagador de Promessas 

Dionísio Azevedo no filme O Pagador de Promessas 

Dionísio Azevedo com Glória Menezes no filme Lampião, o Rei do Cangaço (1964), direção de Carlos Coimbra

Dionísio Azevedo com Glória Menezes no filme Lampião, o Rei do Cangaço

Dionísio Azevedo com Glória Menezes no filme Lampião, o Rei do Cangaço

Dionísio Azevedo com Glória Menezes no filme Lampião, o Rei do Cangaço

Dionísio Azevedo com Glória Menezes no filme Lampião, o Rei do Cangaço

Dionísio Azevedo com Glória Menezes no filme Lampião, o Rei do Cangaço

Dionísio Azevedo com Leonardo Villar no filme Lampião, o Rei do Cangaço
Dionísio Azevedo com Leonardo Villar no filme Lampião, o Rei do Cangaço

Dionísio Azevedo com Geraldo Del Rey no filme Lampião, o Rei do Cangaço

Dionísio Azevedo com Leonardo Villar e Geraldo Del Rey no filme O Santo Milagroso (1966), direção de Carlos Coimbra

Dionísio Azevedo  no filme O Santo Milagroso 

Dionísio Azevedo  no filme O Santo Milagroso 

Dionísio Azevedo com Leonardo Villar no filme O Santo Milagroso 

Dionísio Azevedo com Leonardo Villar no filme O Santo Milagroso

Dionísio Azevedo com Leonardo Villar no filme O Santo Milagroso

Dionísio Azevedo com Leonardo Villar no filme O Santo Milagroso

Dionísio Azevedo com Geraldo Del Rey no filme O Santo Milagroso 

Dionísio Azevedo com Geraldo Del Rey e Vanja Orico no filme O Santo Milagroso

Dionísio Azevedo com Geraldo Del Rey e Vanja Orico no filme O Santo Milagroso

Dionísio Azevedo com Geraldo Del Rey no filme O Santo Milagroso

Dionísio Azevedo com Geraldo Del Rey e Vanja Orico no filme O Santo Milagroso

Dionísio Azevedo com Mauricio do Valle no filme Corisco, o Diabo Loiro (1969), direção de Carlos Coimbra

Dionísio Azevedo no filme Longo Caminho da Morte (1972), direção de Julio Calasso

Dionísio Azevedo com Kate Hansen no filme Independência ou Morte (1972), direção de Carlos Coimbra

Dionísio Azevedo com Kate Hansen no filme Independência ou Morte 

Dionísio Azevedo com Kate Hansen no filme Independência ou Morte 

Dionísio Azevedo com Tarcísio Meira no filme Independência ou Morte 

Dionísio Azevedo com Patricia Ayres no filme A Pequena Órfã (1972), direção de Clery Cunha

Dionísio Azevedo com Eduardo Abbas no filme A Pequena Órfã

Dionísio Azevedo com Eduardo Abbas e outros no filme A Pequena Órfã

Dionísio Azevedo  no filme A Pequena Órfã

Dionísio Azevedo com Vida Alves no filme A Pequena Órfã

Dionísio Azevedo com o cantor Noite Ilustrada no filme A Pequena Órfã

Dionísio Azevedo no filme A Pequena Órfã

Dionísio Azevedo com Patricia Ayres no cartaz do filme A Pequena Órfã

Dionísio Azevedo com Ney Latorraca e Jussara Freire no filme Sedução (1974), direção de Fauzi Mansur

Dionísio Azevedo com Sadi Cabral e Sergio Hingst no filme O Dia Que o Santo Pecou (1975), direção de Claudio Cunha
Dionísio Azevedo com Glória Menezes no filme O Caçador de Esmeraldas (1979), direção de Oswaldo de Oliveira

Dionísio Azevedo com Glória Menezes no filme O Caçador de Esmeraldas

Dionísio Azevedo com Glória Menezes no filme O Caçador de Esmeraldas

Dionísio Azevedo com Ivete Bonfá, Arduino Colassanti, Glória Menezes e Tarcísio Meira no filme O Caçador de Esmeraldas

Dionísio Azevedo com Osmar di Pieri no filme O Caçador de Esmeraldas

Dionísio Azevedo numa cena do filme O Caçador de Esmeraldas

Dionísio Azevedo com Xuxa Meneghel no filme Fuscão Preto (1983), direção de Jeremias Moreira Filho

Dionísio Azevedo no filme Fuscão Preto 

Dionísio Azevedo no filme O Menino Arco-Íris (1983), direção de Ricardo Bandeira

Dionísio Azevedo com Genny Prado no filme A Marvada Carne (1985), direção de André Klotzel

Dionísio Azevedo no filme Os Bons Tempos Voltaram (1985), direção de Ivan Cardoso e John Herbert

Dionísio Azevedo no filme Os Bons Tempos Voltaram

Dionísio Azevedo dirigiu Nadia Lippi no filme A Virgem
Dionísio Azevedo com Madalena Niccol e Regina Duarte e outros na peça Concerto Número 1 Para Piano e Orquestra, de João Ribeiro Chaves Neto, direção de Sergio Mamberti (1975)

Dionísio Azevedo com João Paulo Adour na peça Gata em Teto de Zinco Quente, de Tennessee Williams, direção de Kiko Jaess (1978)

Dionísio Azevedo com João Paulo Adour e Cléo Ventura na peça Gata em Teto de Zinco Quente

Dionísio Azevedo com João Paulo Adour e Cléo Ventura na peça Gata em Teto de Zinco Quente

Dionísio Azevedo com João Paulo Adour na peça Gata em Teto de Zinco Quente

Dionísio Azevedo com João Paulo Adour na peça Gata em Teto de Zinco Quente

Dionísio Azevedo com Luiz Carlos Arutim, George Otto, Etty Fraser e Henrique César na peça O Dia Que Raptaram o Papa, de João Bittencourt, direção de José Renato (1981)

Dionísio Azevedo como Getúlio Vargas e Ana Maria Dias como Alzirinha Vargas na peça Um Tiro no Coração, de Oswaldo Mendes, direção de Plinio Rigon (1984)


Cartaz da peça Direita, Volver!, de Lauro César Munizo, direção de Emílio di Biasi (1985)

Dionísio Azevedo com Claudio Curi, Rosamaria Murtinho, Flávio Guarnieri, Cleyde Yáconis, Bárebar Bruno e J. França na peça Direita, Volver!


Dionísio Azevedo com Lia De Aguiar num teleteatro do programa TV de Vanguarda (TV Tupi, anos 1950) 
Dionísio Azevedo com Flora Geni em Othelo,  teleteatro do programa TV de Vanguarda (TV Tupi, anos 1950) 


Dionísio Azevedo com Henrique Martins num teleteatro do programa TV de Vanguarda (TV Tupi, anos 1950) 

Dionísio Azevedo (sentado) e o elenco de O Tempo e o Vento (TV Excélsior, 1967), novela de Teixeira Filho,baseada no romance de Érico Veríssimo, direção de Dionísio Azevedo 
Dionísio Azevedo dirigindo Gianfrancesco Guarnieri, Rui Rezende e Castro Gonzaga em O Tempo e o Vento 
Dionísio Azevedo com a menina Patricia Ayres em A Pequena Órfã (TV Excélsior, 1968), novela de Teixeira Filho, direção de Dionísio Azevedo 

Dionísio Azevedo com Geórgia Gomide e Márcia Maria em As Pupilas do Senhor Reitor (TV Record, 1970), novela de Lauro César Muniz, adaptada da obra de Julio Diniz, direção de Dionísio Azevedo 

Dionísio Azevedo com Geórgia Gomide e Márcia Maria em As Pupilas do Senhor Reitor


Dionísio Azevedo com Geórgia Gomide e Márcia Maria em As Pupilas do Senhor Reitor. No meio da novela Geórgia, num ataque de estrelismo por conta do aumento de salário da colega, abandonou a novela, sendo substituída por Maria Estela. Dionísio ficou muito aborrecido com a atitude da atriz.

Dionísio Azevedo com Maria Estela e Márcia Maria em As Pupilas do Senhor Reitor


Dionísio Azevedo, Márcia Maria, Geórgia Gomide e Agnaldo Rayo estrelaram As Pupilas do Senhor Reitor 

Dionísio Azevedo, Márcia Maria e  Geórgia Gomide na capa do LP com a trilha sonora de As Pupilas do Senhor Reitor 

Dionísio Azevedo à frente do grande elenco de As Pupilas do Senhor Reitor 

Dionísio Azevedo dirigindo Francisco di Franco e Tony Tornado em  Jerônimo, o Herói do Sertão (TV Tupi, 1972), novela de Moysés Weltmann, direção de Gonzaga Blota e Dionísio Azevedo
Dionísio Azevedo com o menino Douglas Mazzola em  O Velho, o Menino e o Burro (TV Tupi, 1975), novela de Carmem Lídia, direção de Antônio Moura Mattos

Dionísio Azevedo com o menino Douglas Mazzola em  O Velho, o Menino e o Burro 

Dionísio Azevedo com Eduardo Abbas, Rogério Márcico, Genny Prado e as crianças Douglas Mazzola e Ana Luísa Lancaster em  O Velho, o Menino e o Burro 

Dionísio Azevedo com Liza Vieira, Marcelo Galdino e o menino Douglas Mazzola em  O Velho, o Menino e o Burro 

Dionísio Azevedo com Yara Cortes em Dona Xepa (TV Globo, 1977), novela de Gilberto Braga, adaprada da peça de Pedro Bloch, direção de Herval Rossano

Dionísio Azevedo com Yara Cortes e Zeni Pereira em Dona Xepa 


Dionísio Azevedo com Tony Ramos em O Astro (TV Globo, 1977), novela de Janete Clair, direção de Daniel Filho e Gonzaga Blota


Dionísio Azevedo com Ida Gomes em O Astro

Dionísio Azevedo com Edwin Luisi e Ênio Santos em O Astro

Dionísio Azevedo com Edwin Luisi e Ênio Santos em O Astro

Dionísio Azevedo com Tereza Rachel em O Astro

Dionísio Azevedo com Edwin Luisi e José Luis Rodi em O Astro: a solução do mistério "Quem matou Salomão Hayala?"

Dionísio Azevedo com Edwin Luisi e José Luis Rodi em O Astro

Dionísio Azevedo com Edwin Luisi e José Luis Rodi em O Astro
 
Dionísio Azevedo(no destaque) e a autora Janete Clair com o elenco de O Astro

Dionísio Azevedo em O Astro

Dionísio Azevedo em O Astro
Dionísio Azevedo com Glória Menezes em Pai Herói (TV Globo, 1979), novela de Janete Clair, direção de Walter Avancini e Gonzaga Blota

Dionísio Azevedo com Glória Menezes em Pai Herói 

Dionísio Azevedo com Glória Menezes em Pai Herói 
Dionísio Azevedo em Pai Herói 
Dionísio Azevedo com Tony Ramos em Pai Herói 

Dionísio Azevedo com Fernando Eiras em Pai Herói 

Dionísio Azevedo com Glória Menezes em Pai Herói 


Dionísio Azevedo com Tony Ramos em Pai Herói 

Dionísio Azevedo com Glória Menezes, Tony Ramos e Rosamaria Murtinho em Pai Herói 


Dionísio Azevedo com Maria Luiza Castelli em Pé de Vento (TV Bandeirantes, 1979), novela de Benedito Rui Barbosa, direção de Paulo Plinio Fernandes e Arlindo Pereira

Dionísio Azevedo com Fausto Rocha Jr e Nuno Leal Maia em Pé de Vento 

Dionísio Azevedo com Flora Geni, Riva Nimitz e Luiz Carlos Arutim em Os Imigrantes (TV Bandeirantes, 1981), novela de Benedito Rui Barbosa, direção de Henrique Martins e Atilio Riccó

Dionísio Azevedo com Norma Geraldy em Quem Ama não Mata (TV Globo, 1982), minissérie de Daniel Filho e Denise Bandeira, direção de Dennis Carvalho

Dionísio Azevedo em Meu Destino é Pecar (TV Globo, 1984), minissérie de Euclydes marinho, baseada na obra de nelson Rodrigues, direção de Denise Saraceni e Ademar Guerra


FLORA GENI - A COMPANHEIRA DE UMA VIDA


Eugênia Tortejada Jacob, em artes Flora Geni, nasceu em São Paulo no dia 19 de Abril de 1929. Começou sua carreira no início da televisão, na TV Tupi, atuando e adaptando textos para o programa TV de Vanguarda. Na década de 1960 interpretou importantes papéis em telenovelas da TV Excelsior, como A Grande Viagem; A Outra Face de Anita e O Direito dos Filhos. Com a morte do filho caçula, em 1969, Flora afastou-se da carreira, voltando esporadicamente em novelas e peças teatro.

No cinema Flora Geni protagonizou filmes dirigidos pelo marido, entre eles, Chão Bruto (1958) e Anjo Assassino (1967). Atriz pioneira da televisão no Brasil, Flora Geni foi casada com Dionísio Azevedo de 1959 até sua morte, em 22 de Dezembro de 1991, aos 62 anos de idade, em decorrência de um câncer. O marido morreu três anos depois.


Flora Geni no filme Chão Bruto (1958), direção de Dionísio Azevedo

Flora Geni com Altair Lima no filme O Anjo Assassino (1967), direção de Dionísio Azevedo

Flora Geni com Altair Lima no filme O Anjo Assassino (1967), direção de Dionísio Azevedo

Flora Geni (sentada à direita) com o elenco da novela A Outra Face de Anita (1964), de Ivani Ribeiro, direção de Dionísio Azevedo

Flora Geni com Regina Duarte e Daniel Filho na novela A Grande Viagem (1965), de Ivani Ribeiro, direção de Walter Avancini

Flora Geni com Henrique Martins, Leila Diniz e as crianças Patricia Aires e Antonio Alves na novela O Direito dos Filhos (1968), de Teixira Filho, direção de Henrique Martins

Flora Geni com Casttro Gi]onzaga, Miriam Pires, Suzana Vieira e Norah Fontes na novela Os Gigantes (1979), de Lauro César Muniz, direção de Régis Cardoso

Flora Geni na capa da revista TV Sul

Flora Geni com Fábio Cardoso na capa da revista Intervalo

Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog TUDO ISSO É TV (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br), sites diversos da Internet


Um comentário: