terça-feira, 11 de agosto de 2020

HENRIETTE MORINEAU - UMA MADAME NOS PALCOS BASILEIROS

 

Conhecida no meio teatral como “Madame Morineau”, a legendária Henriette Morineau nasceu Henriette Roulleau no dia 29 de Novembro de 1098, numa pequena cidade do interior da França, chamada Niort.

Depois de viver as agruras da Primeira Guerra Mundial ao lado da mãe e do padrasto, a menina que conhecera o pai apenas aos 7 anos de idade, quando este estava à beira da morte, contrariando a mãe e  apoiada pelo padrasto migrou para Paris em 1922,  em busca de seu sonho: o Teatro. Concorrendo com 180 candidatas, conseguiu umas das 4 vagas e entrou para o Conservatório de Paris, onde se formou em segundo lugar, três anos depois. Em 1925, sob a direção de Alberto Lambert, trabalhou na Comedie Française, interpretando um repertório de clássicos que incluía autores como Corneille, Racine e Molière.

Em 9 de Maio de 1931, cometeu o seu maior erro, segundo ela: casou-se com o comerciante francês Monsieur Morineau, que vivia no Brasil e com ele veio morar no Rio de Janeiro. Depois de oito anos de um casamento infeliz e com uma filha criança, separou-se do marido.

Em 1940, a convite de Lambert que fazia uma excursão pela América Latina, voltou ao teatro, mas foi impedida de voltar a Paris, graças a um processo movido pelo ex-marido que a impedia de tirar a filha do Brasil. A solução foi estabelecer-se definitivamente no país, passando a lecionar no Conservatório da A.B.I.  (Academia Brasileira de Imprensa), organizando um curso de interpretação em francês.

Em 1944, foi convidada por Bibi Ferreira para dirigir sua Cia de Teatro, onde ficou por 2 anos e interpretou pela primeira vez em português, na peça Presa por Amor.   Casou-se com o ator e diretor Delorges Caminha.

Em 1946, fundou junto com outros dois sócios a Cia Os Artistas Unidos, que se manteve ativa por 14 anos e apresentou grandes  êxitos como Frenesi, Os Filhos de Eduardo, À Margem da Vida, O Pecado Original, Catarina da Rússia, O Complexo de Meu Marido, Poltrona 47, Um Cravo na Lapela, A Cegonha se Diverte, Mulher Sem Alma, Os Maridos Avisam Sempre e Mulheres Feias.

Em 1954, afastou-se por dois anos da Cia Os Artistas Unidos, indo dirigir peças na Cia Eva Todor. Voltou aos Artistas Unidos em 1956 na comemoração dos 10 anos da Cia e seguiram-se novos sucessos como Chérie, É de Amor Que se Trata, As Loucuras de Mamãe, Gigi e Brasileiros em Nova York.

Em 1959, com a morte de Carlos Brant, um dos sócios, a Cia Os Artistas Unidos encerrou suas atividades e Madame Morineau passou a atuar em produções diversas, como contratada, no Brasil e em Portugal, onde, entre  1963 e 1971, enviada pelo Itamaraty em missão cultural, dirigiu, atuou e lecionou no Conservatório Dramático de Lisboa.

São dessa fase, como contratada, as peças Uma Rua Chamada Pecado, O Sorriso de Pedra, Todo Anjo é Terrível (Teatro Oficina), Andorra (Teatro oficina), A Perda Irreparável  (Produção Oscar Ornstein), Coriolano (Cia Paulo Autran) e Dr. Knok (Cia Paulo Autran). Suas últimas atuações no teatro foram dois grandes sucessos: Ensina-me a Viver e A Testemunha da Acusação.

Entre os muitos títulos recebidos por Madame Morineau por sua colaboração às artes estão a Ordem do Cruzeiro do Sul, Chevalier de L´Ordre des Lettres e des Arts, Carioca Honorário e Cidadã Carioca. Para ela, o lugar do ator era no teatro. Num depoimento para a Funarte, declarou: “Para mim, é o palco e a presença do público; sentir o público, a sua respiração. E, depois, seu contentamento ou seu descontentamento.  não sei.  Mas, em todo o caso, a sua presença”.

Henriette Morineau morreu no dia 3 de Dezembro de 1990, aos 82 anos.  Exemplo de disciplina e respeito ao palco Madame Morineau, atriz, diretora e empresária,  foi uma das mais importantes figuras do teatro Brasileiro no século XX.


Henriette Morineau

Henriette Morineau

Henriette Morineau

Henriette Morineau



Henriette Morineau

Henriette Morineau

Henriette Morineau

Henriette Morineau

Henriette Morineau


Henriette Morineau

Henriette Morineau

Henriette Morineau

Henriette Morineau e Eva Todor

Henriette Morineau e Eva Todor

Henriette Morineau com João Bithencourt, Cleyde Yáconis  e Heloísa Helena

Henriette Morineau e Eva Todor


Henriette Morineau e Manoel Pelupfo


Henriette Morineau na peça Miguette Et Sa Mere Fabienne (1946)


Henriette Morineau na peça Uma Rua Chamada Pecado

Henriette Morineau na peça Medéia

Henriette Morineau com Dary Reis na peça Medéia

Henriette Morineau na peça Medéia

Henriette Morineau na peça Elizabeth da Inglaterra

Henriette Morineau com Luis Tito na peça Elizabeth da Inglaterra

Henriette Morineau com Luis Tito na peça Elizabeth da Inglaterra

Henriette Morineau com Luis Tito na peça Elizabeth da Inglaterra


Henriette Morineau na peça Catarina da Rússia

Henriette Morineau na peça Catarina da Rússia

Henriette Morineau com Paulo Serrado na peça Catarina da Rússia


Henriette Morineau com Flora May e Álvaro Aguiar na montagem de 1946 da peça Frenesi

Henriette Morineau com Victor Schnaider na montagem de 1961 da peça Frenesi

Henriette Morineau na montagem de 1961 da peça Frenesi

Henriette Morineau com Hélio Monterrey na montagem de 1961 da peça Frenesi

Henriette Morineau com Jardel Filho 

Henriette Morineau com Jardel Filho 

Henriette Morineau com Jardel Filho 

Henriette Morineau com Jardel Filho e Beyla Genauer na peça Um Cravo na Lapela


Henriette Morineau na peça Um Cravo na Lapela


Henriette Morineau com Jardel Filho na peça Um Cravo na Lapela

Henriette Morineau com Beyla Genauer, Jardel Filho, Armando Brga e Armando Rosas  na peça A Poltrona 47

Henriette Morineau com Jardel Filho na peça O Complexo de Meu Marido

Henriette Morineau com Jardel Filho na peça Os Maridos Avisam Sempre

Henriette Morineau com Jardel Filho na peça Jezebel

Henriette Morineau com Jardel Filho na peça Jezebel

Henriette Morineau com Beatriz Segall e Jardel Filho na peça Jezebel

Henriette Morineau com Jardel Filho na peça Jezebel

Henriette Morineau com Sonia Oiticica  na peça Jezebel

Henriette Morineau  na peça Mademoiselle

Henriette Morineau com Manuel Pêra na peça Os Filhos de Eduardo

Henriette Morineau com Manuel Pêra na peça Os Filhos de Eduardo

Henriette Morineau com Laura Suarez na peça Mulher Sem Alma

Henriette Morineau com Francisco Dantas, Aurimar Rocha e Fernanda Montenegro na peça A Cegonha se Diverte

Henriette Morineau com Amélia Rey Colaço  na peça Delírio


Henriette Morineau com Fernanda Montenegro na peça Mulheres Feias

Henriette Morineau com Fernanda Montenegro na peça Mulheres Feias

Henriette Morineau com Fernanda Montenegro na peça Mulheres Feias

Henriette Morineau com Fernanda Montenegro na peça Mulheres Feias

Henriette Morineau com Francisco Dantas e Fernanda Montenegro na peça Mulheres Feias

Henriette Morineau com Jardel Filho, Laura Suarez, Fernanda Montenegro e Francisco Dantas na peça Mulheres Feias

Henriette Morineau com Bibi Ferreira na peça Rebecca

Henriette Morineau com Adriano Reys na peça Chérie

Henriette Morineau com Iracema de Alencar e Antonio Victor na peça Chérie

Henriette Morineau  na peça Um Estranho Bate à Porta

Henriette Morineau com Sara Nobre e Paulo Goulart na peça Gigi


Henriette Morineau com Francisco Dantas e Laura Suarez  na peça Brasileiros em Nova York

Henriette Morineau com Laura Suarez, Vanda Lacerda e Paulo Monte na peça Brasileiros em Nova York

Henriette Morineau com Paulo Monte, Laura Suarez e Cilio Costa na peça Brasileiros em Nova York

Henriette Morineau com Paulo Monte, Vanda Lacerda, Cilio Costa e Laura Suarez na peça Brasileiros em Nova York


Henriette Morineau com Delorges Caminha e Edna Mara na peça Brasileiros em Nova York

Henriette Morineau com Paulo Monte e Edna Mara na peça Brasileiros em Nova York


Henriette Morineau com Vanda Lacerda e Laura Suarez na peça Brasileiros em Nova York

Henriette Morineau com Nicette Bruno na peça Anjo Negro

Henriette Morineau com Marília Branco, Ziembinski e Souza Lima na peça A Perda Irreparável

Henriette Morineau com Ziembinski na peça A Perda Irreparável

Henriette Morineau com Iracema de Alencar e Ziembinski nos ensaios da peça A Perda Irreparável


Henriette Morineau com Iracema de Alencar e Ziembinski nos ensaios da peça A Perda Irreparável

Henriette Morineau e Ziembinski nos ensaios da peça A Perda Irreparável


Henriette Morineau e Ziembinski recebendo os cumprimentos de Tônia Carrero na estréia da peça A Perda Irreparável

Henriette Morineau com Lúcia Alves e Jorge Dória na peça Nunca Se Sabe

Henriette Morineau com Eva Todor na peça Quarta Feira, Lá em Casa Sem Falta

Henriette Morineau com Eva Todor na peça Quarta Feira, Lá em Casa Sem Falta

Henriette Morineau com Renato Borghi na peça Todo Anjo é Terrível

Henriette Morineau  com Renato Borghi na peça Andorra

Henriette Morineau com Paulo Gracindo na peça Frank Sinatra 4815

Henriette Morineau com Paulo Gracindo e Dayse Lucidi na peça Frank Sinatra 4815

Henriette Morineau  na peça Frank Sinatra 4815

Henriette Morineau  na peça Frank Sinatra 4815

Henriette Morineau  com Dilma Lóes e Cléia Simões na peça Frank Sinatra 4815

Henriette Morineau  com Hugo Sandes na peça Frank Sinatra 4815


Henriette Morineau  com Paulo Autran na peça Coriolano

Henriette Morineau  com Paulo Autran na peça Coriolano

Henriette Morineau  com Paulo Autran na peça Coriolano

Henriette Morineau  com Paulo Autran na peça Dr. Knok

Henriette Morineau nos Estúdios Maristela em 1954

Henriette Morineau com Suzana Freyre no filme Leonora dos Sete Mares (1954)

Henriette Morineau com Procópio Ferreira no filme O Comprador de Fazendas (1951)

Henriette Morineau com Procópio Ferreira no filme O Comprador de Fazendas (1951)

Henriette Morineau com Procópio Ferreira e Jayme Barcellos no filme O Comprador de Fazendas (1951)


Henriette Morineau com Procópio Ferreira e Hélio Souto no filme O Comprador de Fazendas (1951)

Henriette Morineau com Procópio Ferreira no filme O Comprador de Fazendas (1951)

Henriette Morineau com Procópio Ferreira e Jayme Barcellos no filme O Comprador de Fazendas (1951)

Henriette Morineau com Procópio Ferreira e Jayme Barcellos no filme O Comprador de Fazendas (1951)

Henriette Morineau com Procópio Ferreira  no filme O Comprador de Fazendas (1951)

Henriette Morineau  no filme O Comprador de Fazendas (1951)


Henriette Morineau  no filme Perdoa-me Por Me Traíres (1983)

Henriette Morineau  com Leila Diniz e Henrique Martins nas gravações da novela  Anastácia (TV Globo, 1969)

Henriette Morineau  com Leila Diniz e Henrique Martins nas gravações da novela  Anastácia (TV Globo, 1969)

Henriette Morineau  com Lucélia Santos na novela  Escrava Isaura (TV Globo, 1976)

Henriette Morineau  com Lucélia Santos na novela  Escrava Isaura (TV Globo, 1976)

Henriette Morineau  com Betty Faria na novela  Água Viva (TV Globo, 1980)

Henriette Morineau  com Betty Faria e Tônia Carrero na novela  Água Viva (TV Globo, 1980)

Henriette Morineau  com Tônia Carrero na novela  Água Viva (TV Globo, 1980)


Programa da peça  Ensina-me a Viver

Henriette Morineau com Diogo Vilella  na peça  Ensina-me a Viver

Henriette Morineau com Diogo Vilella  na peça  Ensina-me a Viver

Henriette Morineau com Diogo Vilella  na peça  Ensina-me a Viver

Henriette Morineau com Diogo Vilella  na peça  Ensina-me a Viver

Henriette Morineau com Diogo Vilella  na peça  Ensina-me a Viver

Henriette Morineau com Nathalia Timberg  na peça  Ensina-me a Viver

Henriette Morineau com Diogo Vilella  na peça  A Testemunha da Acusação

Henriette Morineau com Diogo Vilella  na peça  A Testemunha da Acusação

Henriette Morineau com Diogo Vilella  na peça  A Testemunha da Acusação

Henriette Morineau  na peça  A Testemunha da Acusação

Henriette Morineau 


Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Manchete (Bloch Editores), Imprensa Oficial, site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), Banco de Conteúdos Culturais (www.bcc.org.br), Site Funarte, sites diversos da Internet


Nenhum comentário:

Postar um comentário