sexta-feira, 5 de abril de 2013

LÉLIA ABRAMO A DAMA GUERREIRA


Lélia Abramo foi uma das mais emblemáticas figuras do teatro brasileiro. Grande e premiadíssima atriz, lutadora incansável pelos direitos humanos, engajada politicamente, destemida na luta de seus princípios, digna em todos os aspectos de sua vida, jamais se traiu a si mesma e lutou, mesmo que à custa de sacrifícios, desemprego e perseguições, por aquilo que acreditava ser certo: a dignidade do artista e sobretudo a dignidade de todo cidadão. Simples, amiga e companheira de seus pares, Lélia Abramo é merecedora de eternas homenagens, o que, sem surpresa, em se tratando de Brasil, não acontece.

Filha dos imigrantes italianos e irmã de figuras ilustres da cultura brasileira, Lélia Abramo viveu na Itália entre os anos de 1938 e 1950, período da Segunda Guerra Mundial, tempo em que lutou contra o regime fascista de Benito Mussolini. De volta ao Brasil, engajou-se politicamente na luta pela democracia, inspirada pela filosofia trotskista, participando dos primeiros movimentos de esquerda do Brasil. Foi militante e uma das fundadoras do Partido dos Trabalhadores, sendo personalidade presente na luta pelas eleições diretas no país.
Como atriz, estreou em 1958, aos 47 anos, no Teatro de Arena, na legendária montagem da peça Eles Não usam Black Tie, de Gianfrancesco Guarnieri, com a qual ganhou todos os prêmios do ano. A partir daí não parou mais e esteve presente em mais de duas dezenas de peças, incluindo textos de grandes nomes do teatro mundial como Aristófanes (Lisístrata), William Shakespeare (Ricardo 3º e Romeu e Julieta), Federico Garcia Lorca (Yerma), Bertold  Brecht (Mãe Coragem e Seus Filhos), Samuel Beckett (Esperando Godot), Eugéne Ionesco (Os Rinocerontes), Henrik Ibsen (Espectros), Ésquilo (Agamenon) e Jorge Andrade (Os Ossos do Barão e Vereda da Salvação).
Na televisão, participou de 27 telenovelas, 40 teleteatros e minisséries nas TVs Excelsior, Tupi, Globo e Manchete, marcando presença com personagens de grandes matriarcas (Meu Pé de Laranja Lima, Na Idade do Lobo, Uma Rosa Com Amor, Os Ossos do Barão, Um Dia  o Amor, Pai Herói, Pão Pão Beijo Beijo, O Tempo e o Vento).
Também no cinema esteve presente em 14 filmes, com atuação premiada em clássicos como Cidade Ameaçada (1960), Vereda de Salvação (1964) e O Caso dos Irmãos Naves (1967).

Em1978 assumiu a presidência do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado de São Paulo, pela chapa de oposição Urdimento, o que lhe custou o emprego na Rede Globo e o primeiro infarto. Nada, porém, a abateu e continuou sua luta, incansável, em prol dos trabalhadores da arte no Brasil até sua morte, por embolia pulmonar, em 9 de Abril de 2004, aos 93 anos de idade.

No livro autobiográfico Vida e Arte - Memórias de Lélia Abramo (1997, Editora Fundação Perseu Abramo / Editora da Unicamp), Antonio Candido a descreve no prefácio como uma atriz que "nunca vergou a espinha, nunca sacrificou a consciência à conveniência e desde muito jovem se opôs à injustiça da sociedade. Que sempre rejeitou as vias sinuosas e preferiu perder empregos, arriscar a segurança, sofrer discriminações para poder dizer a verdade e agir com seus pontos de vista”.

Lélia Abramo é, enfim, um exemplo de dignidade que, infelizmente, muitos de seus antigos companheiros não assimilaram...  

Lélia Abramo 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo na novela Um Dia, O Amor  

Lélia Abramo na novela Uma Rosa Com Amor

Lélia Abramo
Lélia Abramo
Lélia Abramo 

Lélia Abramo na novela Pai Herói 

Lélia Abramo 

Lélia Abramo na novela Os Ossos do Barão 
Lélia Abramo na novela Os Ossos do Barão

Lélia Abramo 

Lélia Abramo
Lélia Abramo 

Lélia Abramo 
Lélia Abramo com Marilia Pêra e Felipe Carone em Uma Rosa Com Amor 

Lélia Abramo na novela Na Idade do Lobo

Lélia Abramo na novela Os Ossos do Barão 

Lélia Abramo na novela Pai Herói   

Lélia Abramo na novela O Julgamento 
Lélia Abramo na novela O Julgamento

Lélia Abramo   

Lélia Abramo  

Lélia Abramo recebendo o Prêmio da Associação dos Críticos Teatrais de São Paulo

Lélia Abramo recebendo o prêmio Saci

Lélia Abramo com o ator italiano Vitorio Gassman e Dorothy Leimer que a visitaram no TBC por ocasião da peça Os Ossos do Barão 
Lélia Abramo

Lélia Abramo com o cantor Gonzaguinha, o sindicalista Lula, o ator Renato Consorte e a atriz Dulce Muniz, companheiros de militância no Partido dos Trabalhadores. 

Lélia Abramo com Lula no PT 

Lélia Abramo apoiando Luiza Erundina para prefeita de São Paulo 

Lélia Abramo com o amigo José Wilker, seu filho na novela Os Ossos do Barão 

Lélia Abramo na capa do livro biográfico Vida e Arte Memórias de Lélia Abramo (Editora Fundação Perseu Abramo / Editora da Unicamp) editado em 1997 

Lélia Abramo uma vida feita de lutas e muita dignidade
Lélia Abramo  
Lélia Abramo - álbum da revista Romântica 


Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, site TV Globo e Acervo pessoal da atriz 

Nenhum comentário:

Postar um comentário