sexta-feira, 27 de setembro de 2019

BIBI VOGEL A AMIGA DO PEITO


Sylvia Dulce Kleiner, em artes  Bibi Vogel, nasceu no Rio de Janeiro, no dia 2 de Novembro de 1942. Seus pais eram judeus alemães, ele engenheiro socialista e ela cantora lírica, que mudaram-se para o Rio, após o fim da II ª Guerra Mundial.  O nome artístico tem sua origem no nome da atriz Bibi Ferreria e no sobrenome  do primeiro marido, o americano  Bill Vogel.

Na adolescência era uma grande desportista, tendo participado da seleção de vôlei do Fluminense.  
Sua carreira artística começou no teatro amador, no início dos anos 1960. Em 1965, após casar-se com o músico Bill Vogel, foi morar nos Estados Unidos e lá conheceu o músico brasileiro Sérgio Mendes, que a convidou para integral o grupo musical “Sergio Mendes e Brasil 66”. Em 1968 voltou para  Brasil com o marido e foi morar em São Paulo, onde tornou-se manequim da Editora Abril.

Extremamente fotogênica, estampou inúmeras capas de revistas e ensaios de moda. Nessa época, integrou o elenco do musical Hair e foi convidada por Geraldo Vietri para participar da novela Nino, o Italianinho, um grande sucesso da TV Tupi. Ainda na emissora paulista, atuou em outra telenovela de Vietri: A Fábrica. Após esse trabalho, decidiu dedicar-se à música, mas um convite da TV Globo para um bom papel em Os Ossos do Barão, novela de Jorge Andrade, a fez voltar ao vídeo. Na emissora carioca atuou ainda em O Espigão, novela de Dias Gomes e em Bravo!, de Janete Clair.

Por ocasião da novela Os Ossos do Barão, gravou um compacto duplo com músicas suas, em parceria com Guilherme Arantes.

No cinema, marcou presença em diversos filmes, entre eles, Anuska, Manequim e Mulher (1968); Panca de Valente (1968); Bebel, Garota Propaganda (1968); Meu Nome é Tonho (1969); Elas (1970); A Radionovela (1971); Motel (1974); Um Homem Célebre (1974); Deixa, Amorzinho...Deixa (1975); Ipanema, Adeus (1975); O Pai do Povo (1976) e  A Morte Transparente (1979).
No teatro, além do musical Hair, participou do grupo Teatro de Arena, capitaneado por Agusto Boal e Gianfrancesco Guarnieri.

Em 1976, casada com o diretor teatral Alfredo Zemma, mudou-se para Bueno Aires. Em março de 1979 nasceu a única filha do casal: Mayra. A experiência com a maternidade a levou a criar o Grupo de Mães Amigas do Peito, um movimento em prol da amamentação. A partir de então, dedicou-se à militância de causas humanitárias.


Bibi Voguel morreu em Buenos Aires do dia  3 de abril de 2004, aos 61 anos, vítima de câncer de estômago.  Atriz, modelo,  cantora, compositora, jornalista e militante de causas humanitárias, Bibi Vogel foi uma mulher de vida intensa. Aqui um pouco de sua trajetória.

Bibi Vogel

Bibi Vogel
Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel


Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel

Bibi Vogel com Jorge Karan no filme Meu Nome é Tonho (1968), direção de Odualdo Candeia 
Bibi Vogel com Jorge Karan no filme Meu Nome é Tonho

Bibi Vogel com Jorge Karan no filme Meu Nome é Tonho

Bibi Vogel com Jorge Karan no filme Meu Nome é Tonho

Bibi Vogel no filme Meu Nome é Tonho

Bibi Vogel no filme Meu Nome é Tonho

Bibi Vogel no filme Meu Nome é Tonho

Bibi Vogel com Marlene França e Tony Vieira no filme Panca de Valente (1968), direção de Luis Sergio Person

Bibi Vogel com Marlene França  no filme Panca de Valente

Bibi Vogel com Silvio de Abreu no filme Panca de Valente

Bibi Vogel com Marlene França e Tony Vieira e o menino Tuca no filme Panca de Valente

Bibi Vogel com Tony Vieira e Silvio de Abreu no filme Panca de Valente

Bibi Vogel com Dennis Carvalho no filme Diabólicos Herdeiros (1971), direção de Geraldo Vietri

Bibi Vogel com Dennis Carvalho no filme Diabólicos Herdeiros

Bibi Vogel com Wagner Monte no filme A Morte Transparente (1978), direção de Carlos Hugo Christensen

Bibi Vogel com Osmar de Mattos no filme A Morte Transparente

Bibi Vogel com Osmar de Mattos no filme A Morte Transparente

Bibi Vogel com Wagner Montes no filme A Morte Transparente

Bibi Vogel com Roberto Faissal no filme A Morte Transparente

Bibi Vogel com Roberto Faissal e Darcy de Souza no filme A Morte Transparente

Bibi Vogel com Osmar de Mattos no filme A Morte Transparente

Bibi Vogel com Aracy Balabanian e Juca de Oliveira em  Nino, o Italianinho (TV Tupi, 1969), novela de Geraldo Vietri


Bibi Vogel com Juca de Oliveira em  Nino, o Italianinho

Bibi Vogel com Juca de Oliveira em  Nino, o Italianinho

Bibi Vogel com Juca de Oliveira em  Nino, o Italianinho

Bibi Vogel com Juca de Oliveira em  Nino, o Italianinho

Bibi Vogel com Aracy Balabanian, Juca de Oliveira e o cantor Romualdo em  Nino, o Italianinho

Bibi Vogel com Aracy Balabanian e Juca de Oliveira em  Nino, o Italianinho

Bibi Vogel com Juca de Oliveira em  Nino, o Italianinho


Bibi Vogel com Ednei Giovenazzi em  Os Ossos do Barão (TV Globo, 1973), novela de Jorge Andrade

Bibi Vogel com Ednei Giovenazzi e Carmem Silva em  Os Ossos do Barão

Bibi Vogel com o elenco de Os Ossos do Barão

Bibi Vogel com Ednei Giovenazzi em  Os Ossos do Barão

Bibi Vogel com Carlos Eduardo Dolabella em  O Espigão (TV Globo, 1974), novela de Dias Gomes

Bibi Vogel com Carlos Eduardo Dolabella em  O Espigão

Bibi Vogel com Carlos Alberto em Bravo! (TV Globo, 1975), novela de Janete Clair, finalizada por Gilberto Braga

Bibi Vogel com Cláudio Cavalcanti e Luis de Lima em Bravo!

Bibi Vogel com Luis de Lima em Bravo!

Bibi Vogel com Luis de Lima em Bravo!

Bibi Vogel  em Bravo!


Bibi Vogel com Carlos Alberto em Bravo!

Bibi Vogel com Mary Daniel em Bravo!

Bibi Vogel com Aracy Balabanian em Bravo!

Bibi Vogel com Carlos Alberto em Bravo!

Bibi Vogel com Carlos Alberto em Bravo!
Bibi Vogel gravando Bravo!

Bibi Vogel com Sergio Mendes e o Grupo Sérgio Mendes e Brasil 66

Bibi Vogel na capa de seu compacto duplo


Bibi Vogel em A Resistível Ascensão de Arturo Ui (Teatro de Arena, 1970), peça de Bertolt Brecht. Direção de Augusto Boal

Bibi Vogel com Antônio Fagundes A Resistível Ascensão de Arturo Ui (Teatro de Arena, 1970), peça de Bertolt Brecht. Direção de Augusto Boal

Bibi Vogel como manequim da Editora Abril, na capa da revista Ilusão

Bibi Vogel como manequim da Editora Abril, na capa da revista Capricho
Bibi Vogel na revista Intervalo 2000 em 1972

Bibi Vogel na revista Intervalo 2000 em 1972



Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog TUDO ISSO É TV (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br), GA Registro, sites diversos da Internet

Um comentário:

  1. Gostaria de ter um Portal de Notícias moderno, com template responsivo para celulares e muito fácil de administrar?

    O JCS Notícias é um site pronto de fácil atualização, o script possui painel de administração onde você poderá definir os assuntos de seu portal, as notícias e artigos com fotos e vídeos, galeria de imagens, banners de publicidade e inclusive ter colunistas para seu site.

    Preço? Apenas R$ 250,00 únicos. Ou, no Plano Aluguel R$ 58,00/mês já incluído a hospedagem.
    Caso você compre o site e queira também a nossa hospedagem, o valor é R$ 29,90/mês.

    Visite nosso site para maiores detalhes:
    https://www.jcsites.com/sites-prontos/noticias/jcs-noticias-script-php-para-sistema-de-noticias-ou-revista.html

    Demonstração:
    https://www.jcsites.com/demos/jcsnoticias/

    E qualquer dúvida estaremos a disposição.

    Obrigado.

    Juliano Cunha
    www.jcsites.com
    WhatsApp: (35) 9.8429-9938

    ResponderExcluir