quarta-feira, 6 de junho de 2018

GRANDES NOVELISTAS - WALTER GEORGE DÜRST



WALTER GEORGE DÜRST - O INAUGURADOR DE TVs

Walter George Dürst nasceu em São Paulo, no dia 15 de junho de 1922. Filho de um imigrante nascido na Suiça e uma professora primária, descendente de portugueses, teve uma infância difícil em função da violência paterna e da separação dos pais, aos oito anos de idade, quando o pai abandonou a família e voltou para a Europa.

Ainda adolescente, trabalhou em um banco, mas logo ingressou na carreira de repórter do Jornal de Notícias, escrevendo sobre cinema. Em seguida foi para a Rádio Cultura, produzindo o programa Universidade no Ar

Na televisão foi um dos pioneiros, escrevendo e adaptando obras para teleteatros do programa TV de Vanguarda, na TV Tupi.  Em 1963, com a inauguração da TV Excelsior, foi chamado para compor o quadro de dramaturgos da emissora, criando o Teatro 63, um programa onde pessoas do povo contavam suas histórias que em seguida eram dramatizadas por atores profissionais.  Depois de um ano no ar, o programa deixou de ser produzido e Durst voltou para a TV Tupi como contratado da empresa Colgate-Palmolive para adaptar textos mexicanos para telenovelas. São dessa fase as novelas O Sorriso de Helena (1964), Gutierritos (1964), Tereza (1965), O Cara Suja (1965), Olhos Que Amei (1965), A Outra (1965), A Cor da Sua Pele (1965), Um Rosto Perdido (1965/66) e Meu Filho, Minha Vida (1967). 

Em 1967, com a inauguração da TV Bandeirantes, foi contratado para produzir o programa Teatro Cacilda Becker, novamente adaptando textos para teleteatro. Em 1969 foi a vez da TV Cultura, adaptando o romance O Feijão e o Sonho, de Orígenes Lessa, usando a história como base para as aulas de português do telecurso de madureza. Na emissora também adaptou obras para teleteatro: Yerma (Garcia Lorca), O Capote (Nicolau Gogol), Crime e Castigo (Dostoiévski), entre outras.

Em 1971 foi para a TV Globo , criando roteiros para o programa Só o Amor Constrói, que narrava biografias de grandes personalidades. Em 1974, a convite do velho amigo Walter Avancini, aceitou adaptar a obra Gabriela Cravo e Canela, famoso romance de Jorge Amado, para a comemoração dos 10 anos da emissora. A produção da novela durou quase um ano e a escolha da personagem título se arrastou por meses, a exemplo da protagonista de E o Vento Levou no cinema americano. Por fim, Avancini bateu o martelo no nome de Sônia Braga, então uma jovem atriz do elenco coadjuvante da emissora. Além de Sônia Braga, a Globo escalou um elenco fabuloso até para os pequenos papéis. Em 14 de abril de 1975, Gabriela, numa produção esmerada, aportava na televisão brasileira e marcaria época, com um sucesso retumbante que atravessou fronteiras e fez bonito também no estrangeiro, abrindo as portas para a exportação de telenovelas brasileiras para o mundo.  

Depois de Gabriela, Durst escreveu uma telenovela inédita chamada Despedida de Casado, mas a censura da época proibiu a história na semana de estréia, em 1977. Para tapar o buraco a TV Globo reprisou um compacto de O Bem Amado, enquanto Durst preparava uma novela de época, baseada na obra de Galeão Coutinho: Nina.

Na TV Globo, sempre em parceria com Walter Avancini, Durst criou minisséries que são consideradas obras primas: Anarquistas Graças a Deus (1984), Rabo de Saia (1984), Grande Sertão: Veredas (1985) e Memórias de Um Gigolô (1986). Também escreveu episódios para os programas Caso Especial (1973), Carga Pesada (1979), Obrigado Doutor (1981) e adaptou, em 1984, a obra Terras do Sem Fim de Jorge Amado para o horário das 18 horas.

Embora contratado pela TV Globo, o autor não emplacou novos projetos por quase uma década, até ser  convidado, em 1995, pela TV Manchete (novamente pelas mãos de Avancini) para adaptar o romance Tocaia Grande, de Jorge Amado.  Seu último trabalho na televisão foi a adaptação da obra de Jorge Andrade para o SBT, a novela Os Ossos do Barão (1997), que reunia personagens de três peças do autor.

Além da televisão Durst escreveu roteiros e dirigiu filmes, escreveu romances e peças de teatro.  Foi casado com a atriz Bárbara Fázio, com quem teve um casal de filhos, Ella e Marcelo.

Walter George Durst morreu no dia no dia 24 de agosto de 1997, aos 75 anos de idade, vítima de um câncer na medula. Aqui um pouco da trajetória de um pioneiro, que com sensibilidade e talento marcou a história da televisão brasileira.


Walter George Dürst

Walter George Dürst em sua biografia 

Walter George Dürst com sua mulher, a atriz  Bárbara Fázio

Walter George Dürst com sua mulher, a atriz  Bárbara Fázio e o gato Mefisto, xodó do casal

Walter George Dürst com sua filha Ella

Walter George Dürst com seu filho Marcelo

Walter George Dürst com Bárbara Fázio e Walmor Chagas em 1981, quando os atores atuavam na novela Coração Alado, de Janete Clair

Capa do livro Rosa Lúbrica, de Walter George Dürst 

Capa da edição escrita da peça A Urna, de Walter George Dürst 

CINEMA

Cartaz do filme A Carrocinha (1954), roteiro de Walter George Dürst, Prêmio IV Centenário de melhor roteiro
Mazzaropi e Dóris Monteiro no filme A Carrocinha
 Mazzaropi, Dóris Monteiro e Adoniran Barbosa no filme A Carrocinha
Mazzaropi, Dóris Monteiro e Adoniran Barbosa no filme A Carrocinha
Mazzaropi, Dóris Monteiro e Adoniran Barbosa no filme A Carrocinha
 Dóris Monteiro e Adoniran Barbosa no filme A Carrocinha

Cartaz do filme O Sobrado (1957), baseado na obra O Tempo e o Vento, de Érico Veríssimo, Prêmio Governador do Estado de melhor roteiro

Capa do DVD do filme O Sobrado. Além do roteiro, Walter George Dürst também dividiu a direção com Cassiano Gabus Mendes

Bárbara Fázio e José Parisi no filme O Sobrado

 Fernando Baleroni e Bárbara Fázio no filme O Sobrado

Bárbara Fázio e Lia de Aguiar no filme O Sobrado

Lima Duarte, Dionísio Azevedo e José Parisi no filme O Sobrado

Bárbara Fázio no filme O Sobrado

Bárbara Fázio e José Parisi no filme O Sobrado

Lima Duarte e José Parisi no filme O Sobrado

Fernando Baleroni, Lima Duate, José Parisi e Dionísio Azevedo no filme O Sobrado

Lima Duarte no filme O Sobrado

Cartaz do filme Paixão de Gaucho (1957), baseado na obra O Gaucho, de José de Alencar

Alberto Ruschel no filme Paixão de Gaucho

Cena do filme Paixão de Gaucho

Alberto Ruschel no filme Paixão de Gaucho

Alberto Ruschel e Lima Duarte no filme Paixão de Gaucho

Lima Duarte no filme Paixão de Gaucho


TELEVISÃO 


Rolando Boldrin, Laura Cardoso e Fernando Balleroni no teleteatro A Fabulosa História de Neca do Pato, adaptada por Walter George Dürst para o programa TV De Vanguarda (TV Tupi, 1960)

A primeira novela estrelada por Sérgio Cardoso foi O Sorriso de Helena (TV Tupi, 1964), novela de Walter George Durst, baseada na obra de Abel Santa Cruz. Direção de Geraldo Vietri

Sérgio Cardoso e Rita Cleós protagonizaram  O Cara Suja (TV Tupi, 1965), novela de Walter George Durst, com supervisão de Glória Magadan, baseada na obra de Roberto Valente. Direção de Geraldo Vietri. Um grande sucesso.

Sérgio Cardoso e Rita Cleós em O Cara Suja

Sérgio Cardoso e Juca de Oliveira em  O Cara Suja

Ana Rosa e Hélio Souto protagonizaram  Olhos Que Amei (TV Tupi, 1965), novela de Eurico Silva, com supervisão de Walter George Durst,  baseada na obra de Hilda Morales, direção de Wanda Kosmo

Hélio Souto, Ana Rosa e Annik Mavil, o triângulo amoroso de Olhos Que Amei 

Laura Cardoso e Ana Rosa eram duas ciganas inimigas em Olhos Que Amei

Hélio Souto e Ana Rosa em Olhos Que Amei

Walmor Chagas e Geórgia Gomide protagonizaram  A Outra (TV Tupi, 1965), novela de Walter George Durst, baseada na obra de Dario Nicodemi. Direção de Geraldo Vietri.

 Geórgia Gomide,  Walmor Chagas e Guy Loup em A Outra

Geórgia Gomide e Débora Duarte em A Outra

Walmor Chagas e Geórgia Gomide em A Outra

Leonardo Villar e Yolanda Braga protagonizaram  A Cor da Sua Pele (TV Tupi, 1965), novela de Walter George Durst, baseada na obra de Abel Santa Cruz. Direção de Wanda Kosmo

Yolanda Braga foi a primeira protagonista negra em novelas em A Cor da Sua Pele, mas sua carreira não progrediu.  Leonardo Villar e Sergio Galvão também estavam no elenco

Hélio Souto e Aracy Balabanian estrelaram Um Rosto Perdido (TV Tupi, 1965/66), novela de Walter George Durst, baseada na obra de Mimi Valdestein. Direção de Geraldo Vietri

Aracy Balabanian também estrelou Meu Filho, Minha Vida (TV Tupi, 1967), novela de Walter George Durst, baseada na obra O Lorde Negro, de Emile de Richerbourg. Direção de Wanda Kosmo. Com essa novela Durst encerrou seu ciclo de adaptações de textos mexicanos, transferindo-se para a recém inaugurada TV Bandeirantes.
Cacilda Becker, Walmor Chagas e Homero Kossak eram os principais atores do Teatro Cacilda Becker da TV Bandeirantes 

No início dos anos 1970 Walter George Durst foi trabalhar na TV Globo, onde adaptou obras para o programa Caso Especial. Lima Duarte atuou em O Duelo (1973), baseado num conto da obra Sagarana de Guimarães Rosa

Ziembinski atuou no Caso Especial O Capote (TV Globo, 1973) adaptação de Walter George Durst  para a obra de Nicolau Gogol. Direção de Domingos de Oliveira

Yoná Magalhães, Felipe Wagner e Lúcia Alves atuaram no Caso Especial Fogo Morto (TV Globo, 1973), adaptação de Walter George Durst para o romance de José Lins do Rêgo. Direção de Fábio Sabag

Yoná Magalhães no Caso Especial Fogo Morto

Gabriela (TV Globo, 1975), novela de Walter George Durst, baseada na obra Gabriela, Cravo e Canela, de Jorge Amado. Direção geral de Walter Avancini. Na galeria das melhores telenovelas de todos os tempos.

Em Gabriela, o casal Nacib e Gabriela foram vividos por Armando Bógus e Sônia Braga 

Sônia Braga e Armando Bógus, impecáveis em Gabriela
Dina Sfat e Armando Bógus dançam um tango em Gabriela

Dina Sfat participou dos primeiros capítulos de Gabriela no papel de Zarolha, uma dama do Cabaret Bataclan e Armando Bógus foi o turco Nacib

Sônia Braga sobe no telhado para resgatar uma pipa, sob os olhos estupefatos da população de Ilhéus, numa cena antológica de Gabriela

Elizabeth Savalla (Malvina) foi um grande destaque de Gabriela, ao lado de Marcos Paulo  

José Wilker (Mundinho Falcão) e Nívea Maria (Gerusa) formaram um dos casais de Gabriela

Eloísa Mafalda foi a inesquecível Maria Machadão, dona do Cabaret Bataclan em Gabriela
Paulo Gracindo, Rafael de Carvalho, Castro Gonzada e Francisco Dantas foram os poderosos coronéis de Gabriela

Os coronéis de Gabriela: Rafael de Carvalho, Castro Gonzada e Francisco Dantas  e Paulo Gracindo

Gilberto Martinho, Paulo Gracindo, Jayme Barcellos e Elizabeth Savalla: grandes atuações em Gabriela

Em Gabriela, Fúlvio Stefanini como Tonico Bastos, superou as expectativas dos autores do romance e da adaptação. Natalia do Valle estreou em novelas da TV Globo.  

Jayme Barcellos, Luis Orione e Fúlvio Stefanini numa cena de Gabriela

Angela Leal e Fulvio Stefanini em Gabriela

Ary Fontoura e Paulo Gracindo em Gabriela

João Paulo Adour e Maria Fernanda viveram os amantes Osmundo e Sinhazinha, assassinados pelo marido dela, o Coronel Jesuíno (Francisco Dantas) em Gabriela
Despedida de Casado (TV Globo, 1977), novela de Walter George Durst, foi proibida pela censura na semana da estréia, já com mais de 20 capítulos gravados. Direção geral de Walter Avancini

Regina Duarte e Antônio Fagundes viveriam um casal em crise em Despedida de Casado

Rosamaria Murtinho era uma mulher infeliz no casamento e Cláudio Marzo um terapeuta que atendia casais em crise em Despedida de Casado

Regina Duarte e Paulo Ramos numa cena de Despedida de Casado

José Augusto Branco e Regina Vianna  também integravam o elenco de Despedida de Casado

Maria Fernanda e Felipe Wagner formavam outro casal com problemas em Despedida de Casado

Rosamaria Murtinho, Carlos Gregório, Maria Fernanda e Osmar Prado estavam no elenco de Despedida de Casado

Rosamaria Murtinho e Isabella Garcia seriam mãe e filha em Despedida de Casado
Nina (TV Globo, 1977), novela de Walter George Durst, inspirada nas obras Simão o Caolho, Confissões de Dona Marcolina Vovô Morungaba, todas de Galeão Coutinho.  Direção geral de Walter Avancini.

Regina Duarte e Antônio Fagundes em Nina

Rosamaria Murtinho e Antônio Fagundes foram premiados com o  Troféu APCA de melhores atores do ano pelas suas interpretações em Nina

Regina Duarte e Lucia Melo em Nina

Mario lago e Maria Fernanda, grandes atores em Nina

Maria Fernanda, Mario Lago, Telmo Avellar e Rosamaria Muertinho numa cena de Nina

Mario Lago e Antônio Fagundes em Nina

Elza Gomes e Maria Cláudia também tiveram papéis de destaque em Nina

Ary Fontoura e Marcos Paulo em Nina

Regina Duarte era a professora com idéias avançadas, enquanto Norma Suely e Sônia Oiticica eram professoras antiquadas em Nina
Lima Duarte em O Homem Que Veio do Céu (TV Globo, 1978), Caso Especial de Walter George Durst, baseado na obra de Salatiel Coelho. Direção de Lima Duarte

Lucélia Santos e Fábio Jr em Romeu e Julieta (TV Globo, 1980), Caso Especial de Walter George Durst, baseado na obra de William Shakespeare. Direção de Paulo Afonso Grisolli
Terras do Sem Fim (TV Globo, 1981), novela de Walter George Durst, baseada nas obras Cacau, São Jorge dos Ilhéus e Terras do Sem Fim, todas de Jorge Amado. Direção geral de Herval Rossano

Cláudio Cavalcanti e Nívea Maria foram os protagonistas de Terras do Sem Fim. 

Fernando Torres e Carlos Kroeber em Terras do Sem Fim

Maria Cláudia e Bárbara Fázio em Terras do Sem Fim

Sura Breditchevski e Paulo Figueiredo em Terras do Sem Fim

Carlos Kroeber teve grande desempenho em Terras do Sem Fim. Jonas Melo era outro destaque do elenco


O grande José Lewgoy e o galã Mário Cardoso em Terras do Sem Fim

Stênio Garcia, Sebastião Vasconcellos, Paulo Gonçalves e Bárbara Fázio numa cena de Terras do Sem Fim
 Carlos Kroeber,  Bárbara Bruno, Otávio Augusto e Nívea Maria em Terras do Sem Fim
Mário Cardoso e Antônio Pitanga numa cena de Terras do Sem Fim

Anarquistas Graças a Deus (TV Globo, 1984), minissérie de Walter George Durst, baseada na obra homônima de Zélia Gattai. Direção geral de Walter Avancini

Débora Duarte e Ney Latorraca tiveram grandes desempenhos como o casal protagonista de Anarquistas Graças a Deus

Débora Duarte e Ney Latorraca em Anarquistas Graças a Deus

Débora Duarte e Ney Latorraca em Anarquistas Graças a Deus

Débora Duarte e Ney Latorraca em Anarquistas Graças a Deus

Débora Duarte e Ney Latorraca em cena de Anarquistas Graças a Deus


Carlos Capelleti, Paulo Hesse e Ney Latorraca em  Anarquistas Graças a Deus 
Rabo de Saia (TV Globo, 1984), minissérie de Walter George Durst, baseada na obra Pensão Riso da Noite, de José Condé. Direção geral de Walter Avancini

Ney Latorraca foi o impagável Seu Quequé, com suas três mulheres em Rabo de Saia. Dina Sfat era uma delas.

Ney Latorraca com Lucinha Lins em Rabo de Saia

Ney Latorraca e Tássia Camargo em Rabo de Saia

Ney Latorraca com Lucinha Lins em Rabo de Saia

Ney Latorraca e Tássia Camargo em Rabo de Saia

Ney Latorraca e Dina Sfat em Rabo de Saia
Grande Sertão: Veredas (TV Globo, 1985), minissérie de Walter George Durst, baseada na obra de Guimarães Rosa. Direção geral de Walter Avancini. Obra prima da literatura, obra prima na TV

Tony Ramos e Bruna Lombardi em Grande Sertão: Veredas

Tony Ramos e Bruna Lombardi em Grande Sertão: Veredas

Sebastião Vasconcellos e Tarcísio Meira em Grande Sertão: Veredas

Ney Latorraca e Yoná Magalhães em Grande Sertão: Veredas

Yoná Magalhães em Grande Sertão: Veredas

Rubens de Falco em Grande Sertão: Veredas

Memórias de Um Gigolô (TV Globo, 1986), minissérie de Walter George Durst, baseada na obra de Marcos Rey. Direção geral de Walter Avancini
Lauro Corona, Bruna Lombardi e Ney Latorraca brilharam em Memórias de Um Gigolô

Bruna Lombardi e Ney Latorraca em Memórias de Um Gigolô

Lauro Corona com Elke Maravilha em Memórias de Um Gigolô

Elke Maravilha e Lauro Corona em Memórias de Um Gigolô

Lauro Corona, Bruna Lombardi e Ney Latorraca, os protagonistas de Memórias de Um Gigolô
Tocaia Grande (TV Manchete, 1995), novela de Walter George Durst com colaboração de Duca Rachid, Mário Teixeira e Marcos Lazarini, baseada na obra de Jorge Amado. Direção geral de Walter Avancini.

Victor Wagner e Giovana Antonelli em Tocaia Grande

Roberto Bonfim e Tânia Alves em Tocaia Grande

Roberto Bonfim e José Dumont em Tocaia Grande

Roberto Bonfim e Jackson Costa em Tocaia Grande

Bárbara Fázio e Ronnie Marruda em Tocaia Grande

Maria Ceiça e Laerte Morrone em Tocaia Grande

Suely Franco e Leonardo Villar em Tocaia Grande

Roberto Bonfim e Tais Araújo em Tocaia Grande

Carlos Alberto e Roberto Bonfim em Tocaia Grande

Leonardo Villar e Edwin Luisi em Tocaia Grande

Roberto Bonfim em Tocaia Grande

Victor Wagner e Giovana Antonelli em Tocaia Grande

Victor Wagner e Giovana Antonelli em Tocaia Grande

Victor Wagner e Giovana Antonelli em Tocaia Grande

Victor Wagner e Giovana Antonelli em Tocaia Grande

O elenco de Tocaia Grande

Os Ossos do Barão (SBT, 1997), novela de Walter George Durst com colaboração de Duca Rachid, Mário Teixeira e Marcos Lazarini, baseada nas obras de Jorge Andrade A Escada, Os Ossos do Barão, Senhora na Boca do Lixo e Ninho da Serpente. Direção de Henrique Martins e Antônio Abujamra, Direção geral de Nilton Travesso.

Cleyde Yáconis, Othon Bastos e Leonardo Villar em Os Ossos do Barão

Cleyde Yáconis e Leonardo Villar em Os Ossos do Barão


Walter George Dürst 



Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog TUDO ISSO É TV (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), site Banco de  Conteudos Culturais  (www.bcc.org.br),  sites diversos da Internet



Nenhum comentário:

Postar um comentário