sábado, 28 de janeiro de 2012

Leila Diniz, a transgressora

Leila Diniz foi uma mulher à frente do seu tempo. Destemida, de extraordinário talento, Leila Diniz sabia, como poucos, ser marqueteira de sua imagem. Suas posições libertárias a colocaram como alvo do regime militar que preferia atrizes de postura mais comedida como Yoná Magalhães na televisão e Eva Todor no teatro. Leila morreu tragicamente num desastre aéreo quando o avião que a trazia ao Brasil, voltando de um festival de cinema na Austrália, caiu na India. Morreu a mulher, nasceu o mito.

Leila Diniz numa foto publicada na revista Manchete 
Leila Diniz numa foto publicada na revista Manchete 

Leila Diniz 


Leila Diniz numa foto publicada na revista Intervalo 

Leila Diniz numa foto publicada na revista Manchete 

Leila Diniz em 1970 no show Tem Banana na Banda 
Leila Diniz numa foto publicada na revista Intervalo 
Leila Diniz numa foto publicada na revista Manchete 
Leila Diniz numa foto publicada num álbum da revista Romântica 
Leila Diniz numa foto publicada na revista Sétimo Céu 
Leila Diniz numa foto publicada na revista Manchete 
Leila Diniz numa foto publicada na revista Manchete 
Leila Diniz numa foto publicada na revista Manchete 
Leila Diniz numa foto do grande fotógrafo Antônio Guerreiro 
As lentes mágicas de Antônio Guerreiro clicaram a diva em seu esplendor 

Leila Diniz desfilando na Banda de Ipanema. Eterna musa 

Leila Diniz numa foto publicada na revista Manchete 

Leila Diniz em mais um click de Antônio Guerreiro para a posteridade 

Leila Diniz numa foto publicada na revista Amiga 
Leila Diniz 

A saudade da filha fez Leila Diniz antecipar sua viagem de volta, numa rota perigosa, através da India, que a levaria para sempre em 14 de Junho de 1972.

Um dos poucos trabalhos de Leila Diniz no teatro foi a peça O Preço de Um Homem, com Adriano Reys. 
Leila Diniz com Berta Loran na peça Orquídeas para Cláudia 

Leila Diniz em fotos da revista Intervalo

Leila Diniz

Leila Diniz

Leila Diniz

Leila Diniz

Leila Diniz em fotos publicadas na revista Intervalo (Editora Abril) 
Leila Diniz numa foto das revista Sétimo Céu
Leila Diniz foto da revista Intervalo
Leila Diniz - foto da revista Sétimo Céu 

Leila Diniz

Leila Diniz
Leila Diniz no júri do Programa Flávio Cavalcanti 

Leila Diniz 
Leila Diniz 
Leila Diniz  

Leila Diniz 

Leila Diniz 
Leila Diniz 

Leila Diniz 

Leila Diniz 

Leila Diniz  e Márcia de Windsor

Leila Diniz 

Leila Diniz 

Leila Diniz 

Leila Diniz  

Leila Diniz 

Leila Diniz 
Leila Diniz 
Leila Diniz na novela Eu Compro Esta Mulher


fotos: acervo de Orias Elias - revistas Intervalo, Manchete, Amiga, Contigo, Sétimo Céu

6 comentários:

  1. Leila era linda! Incrível ela conseguir se liberar na época da ditadura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leila Diniz foi, realmente, uma mulher que marcou época. Não foi fácil para ela aqueles anos. Uma entrevista dela ao jornal "Pasquim" foi extremamente polêmica e colocou os órgãos de repressão em seu encalço. A TV Globo lhe fechou as portas e ela precisou contar com a ajuda de amigos, como o apresentador Flávio Cavalcanti que a levou para ser jurada em seu programa na TV tupi e chegou a lhe dar esconderijo em momentos mais tensos.

      Excluir
  2. Boa tarde Orias Elias, desculpa por estar escrevendo aqui, mais é porque não consegui abrir no seu perfil o e-mail, gostaria de entrar em contato, meu e-mail é kadu_ghirinzoni@live.com, se possível me passar um e-mail. Você está de parabéns o blog é muito interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tentei entrar em contato, mas esse e-mail é inválido (volta como não encontrado). pode me enviar mensagem no e-mail oriaselias@gmail.com
      abs

      Excluir
  3. não vi nada demais naquela época,minha avó viveu k enm ela tudoe não viu esse tempo feio como falam,todas independentes,e livres,a diferença k a Leila foi falar numa entrevista do Pasquim ente outras coisas k normalmente não se falava,só em rodas de amigos,ahi o bicho pegou pra ela,foi só isso,tudo era normal nos idos dos 60!!

    ResponderExcluir
  4. ela só teve a coragem de botar a barriga de fora do resto não era diferente de mulher nenhuma,todo mundo curtia de montão o balado anos rebeldes!!!

    ResponderExcluir